Filtração por pré-capa com sequestrante de H2S utilizando diatomita e celulose como auxiliar filtrante
Edição Nº 90 - Janeiro/Fevereiro de 2018 - Ano XVI
Esta notícia já foi visualizada 284 vezes.


Filtração por pré-capa com sequestrante de H2S utilizando diatomita e celulose como auxiliar filtrante



Renata Jaeger Regis, Luciano Peske Ceron e Gerti Brun
A filtração líquido-sólido com formação de torta é uma complexa operação unitária com diversas aplicações industriais. A fim de remover partículas de grau fino em processos de filtração, a formação de pré-capa combinada à dosagem de auxiliar filtrante no líquido é uma técnica que propicia limpidez ao filtrado. Este estudo tem por objetivo a remoção da fase dispersa formada em um produto sequestrante de H2S destinado à indústria de óleo e gás. Os experimentos foram realizados com a utilização de um filtro de folhas vertical em escala piloto, testando celulose e diatomita como auxiliares filtrantes para formação da pré-capa e para dosagem no produto químico. A celulose se mostrou um auxiliar filtrante adequado para formação da pré-capa, embora tenha ocasionado elevadas vazões iniciais de filtração. A diatomita se mostrou adequada como auxiliar de filtração para dosagem no sequestrante de H2S, na concentração de 1g/L.  

1- Introdução
Dentre as técnicas disponíveis para separação, a filtração pré-capa destaca-se na retenção de partículas de grau fino em meios aquosos, sendo empregada em diversos processos na indústria (ZEGLA, 2016). 
A filtração pré-capa consiste na formação de uma camada primária de filtragem formada a partir de auxiliares de filtração que visam melhorar a velocidade e a eficiência da operação (BLACKADDER; NEDDERMAN, 2004). Além disso, é comum combinar a esta técnica a dosagem de auxiliar filtrante na suspensão que permeia o filtro, de modo a aumentar a porosidade e evitar saturação da torta (FOUST et al., 1982). 
A fim de garantir o máximo desempenho da separação, distintas combinações de auxiliares de filtração e meio filtrantes podem ser verificadas (SCHILLER; SCHMID, 2014). 
A elaboração deste estudo foi motivada em virtude da ocorrência de uma fase dispersa após o tempo final de reação de um produto químico de uma indústria de soluções químicas destinadas ao setor de óleo e gás. O produto químico de fase líquida possui a finalidade de sequestro do gás sulfídrico (H2S), e é desejável que apresente aspecto límpido e incolor pelo período de um ano da sua fabricação. Entretanto, o líquido forma uma fase dispersa de aparência esbranquiçada e turva nos contentores onde é armazenado após 72 horas da operação de envase.   
A fim de solucionar este problema, é proposta a avaliação do desempenho ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade