Filtros para ar comprimido são aliados na busca pela pureza
Edição Nº 93 - Julho/Agosto de 2018 - Ano XVII
Esta notícia já foi visualizada 7287 vezes.


Filtros para ar comprimido são aliados na busca pela pureza



por Dayane Cristina da Cunha Fernandes


Dos trabalhos minuciosos, como os arqueológicos, passando pelos alimentos e bebidas, remédios e até eletrônicos, o uso do ar comprimido tem se mostrado eficiente e vantajoso para diversos segmentos. Gás inodoro e incolor, é também não tóxico e não inflamável, embora auxilie no processo de combustão. Usado como fonte de energia devido à sua pressão acima da atmosférica, tem a vantagem de poder ter essa pressão aumentada ainda mais pelo aquecimento do ar após a compressão e imediatamente antes do uso, ampliando sua aplicabilidade. 
Para se ter uma ideia de sua versatilidade, o recurso foi utilizado por arqueólogos nas escavações para o processo de restauração do Forte dos Reis Magos, em Natal (RN). Ao retirarem, com a ajuda do ar comprimido, várias camadas de assentamento do local, os pesquisadores descobriram evidências de novos pisos e cômodos no Forte.
Como para cada aplicação existem diferentes níveis de pressão e temperatura, e consequentemente, equipamento específico para seu fim, com os filtros não poderia ser diferente, pois cada atividade exige um grau de purificação. 
Apesar de não ser tóxico, a sua manipulação por meio de equipamentos inadequados ou de má qualidade podem trazer riscos à saúde humana quando há permanência em locais sob alta pressão em função da superexposição ao oxigênio.
No setor têxtil, por exemplo, o ar ultra limpo é necessário nos processos mais sensíveis, como fiação, tecelagem, tintura e texturização. No setor de papel e celulose, o ar comprimido sem contaminação é fundamental para uma produção de alta qualidade e manutenção eficiente. Em óleo e gás, o cuidado é para que vestígios de óleo no ar não causem situações inflamáveis e provoquem o desligamento de plataformas. O segmento de alimentos e bebidas exige um dos maiores níveis de pureza de ar. A presença de óleo no processo de compressão pode resultar em produtos contaminados que mancham a reputação das empresas, além de causar danos aos consumidores. O ar comprimido com 100% de pureza também precisa estar presente nos processos de secagem e embalagem de medicamentos.
O ar comprimido possui, de maneira geral, três principais contaminantes. O primeiro são partículas sólidas provenientes do ar ambiente na forma de poeira e também na forma de fragmentos metálicos da superfície interna de tubulações oxidadas. Estas part ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade