Equipamento de purificação de água laboratorial
Edição Nº 93 - Julho/Agosto de 2018 - Ano XVII
Esta notícia já foi visualizada 7288 vezes.


Equipamento de purificação de água laboratorial



por Carla Legner


A água, mesmo potável, contém vários contaminantes como bactérias, metais, íons e compostos orgânicos que podem causar problemas e distorções nos resultados das análises e procedimentos laboratoriais. Para que a água esteja dentro dos padrões necessários é preciso realizar técnicas e procedimentos para retirada de compostos indesejáveis. Um desses processos é a purificação. 
Os equipamentos e suas técnicas de purificação visam à eliminação de impurezas. Em função de cada técnica empregada ou da associação de diferentes técnicas é possível obter níveis diferentes de qualidade da água. Essas impurezas podem ser classificadas como partículas em suspensão (areia, silite, detritos trabalho e colóides); compostos inorgânicos dissolvidos por cálcio, compostos de ferro, sais de sódio, fosfatos e nitratos; compostos orgânicos dissolvidos principalmente de origem biológica (resíduos de pesticidas, gorduras, óleos e detergentes); microrganismos (bactérias) e gases dissolvidos (oxigênio e dióxido de carbono). 
A água purificada é necessária e utilizada em diversos segmentos como farmacêutico, meio ambiente, análise de resíduos, produtos químicos etc. Para cada aplicação, há exigências a serem cumpridas e é importante usar a qualidade de água correta. De acordo com a norma ASTM D1193-99 existem 3 tipos de água. A do tipo 1 (ultrapura) é recomendada para aplicações críticas como brancos. Água tipo 2 é usada para ensaios gerais, como ensaios físico-químicos. Por fim o tipo 3 é utilizada para exangue.
“A água como solvente universal é empregada em vários procedimentos de preparo de amostras ou utilizada para alimentar alguns equipamentos laboratoriais. Sendo assim, existe uma grande preocupação quanto ao uso de água de boa qualidade adequada às exigências de especificações dos fabricantes ou no atendimento de normas específicas de determinadas áreas de aplicação. Para isso existe no mercado uma série de equipamentos que visam produzir água dentro das qualidades exigidas” – explica Carlos Scarton, gerente de produto da Sartorius. 
Os purificadores de água, para obterem tipos ou graus de água para laboratório, em determinada aplicação ou atividade geral, fazem uso das tecnologias de osmose reversa, destilação, troca iônica, eletrodeionização, UV, microfiltração, carvão ativo e/ou ul ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade