Publicidade
MEIO FILTRANTE - Biogás tem alto potencial de produção e uso no Brasil

Esta notícia já foi visualizada 472 vezes.

Biogás tem alto potencial de produção e uso no Brasil

Data:14/5/2018

Segundo especialistas, País pode produzir 52 bilhões de m3 por ano 

REDAÇÃO AB

A vocação do Brasil em produzir energia de fontes renováveis e de baixa emissão de CO2 poderá ser substancialmente ampliada com o maior uso de biogás, produzido a partir de resíduos orgânicos originados na agropecuária e no saneamento básico, que pode ser usado em larga escala por veículos pesados, como tratores e caminhões. Em seminário realizado esta semana em São Paulo que debateu as perspectivas do setor, especialistas calculam que o potencial brasileiro de produção de biogás equivale a 44% da demanda por diesel no País. 

“É possível produzir 52 bilhões de metros cúbicos de biogás por ano entre proteína animal, saneamento e resíduos sucroenergéticos. Este é o nosso grande diferencial perante a energia eólica ou solar, uma vez que nós conseguimos dar garantia de produção”, afirmou Gabriel Kropsch, vice-presidente da Associação Brasileira do Biogás e Biometano (Abiogás). “O biogás não é uma novidade, mas desde que começou a ser produzido muita coisa mudou. Hoje já somos uma realidade sustentável. O biometano, por exemplo, pode reduzir em 96% as emissões de CO2, com potencial para uma pegada de carbono próxima ao zero”, destacou. 

Segundo Kropsch, o Brasil tem o maior potencial energético do mundo de produção de biogás, por causa do alto volume de resíduos orgânicos disponíveis. Pelas contas da Abiogás, o setor agropecuário pode produzir mais de 70 milhões de metros cúbicos de biometano por dia, sendo 78% originados de subprodutos da indústria sucroenergética e 22% da produção e processamento de proteína animal. A área de saneamento pode contribuir com mais 7 milhões de metros cúbicos por dia desse biocombustível. 

POTENCIAL DESTRAVADO


Especialistas avaliam que esse potencial pode ser destravado e aproveitado a partir dos incentivos trazidos pelo RenovaBio, nova política nacional de biocombustíveis aprovada no fim do ano passado, que deve agregar o biogás à matriz renovável de baixa emissão junto com etanol e biodiesel. “Com o RenovaBio poderemos precificar as vantagens e benefícios do biogás e biomentano. O produtor será recompensado pela qualidade do combustível”, afirma Kropsch. 

De acordo com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), ligada ao Ministério das Minas e Energia (MME), o biogás vai representar o mesmo volume de energia distribuída que a fotovoltaica, enquanto a Abiogás projeta que, até 2030, sejam produzidos 32 milhões m³/dia de biometano. 

O potencial brasileiro de produção de biogás deverá ser melhor conhecido a partir da atualização do BiogásMap que será feita este ano. A iniciativa foi lançada durante o seminário pela Abiogás e pelo Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás (CIBiogás), com o objetivo de mapear todas as plantas em funcionamento ou implantação do País, para obter dados recentes e confiáveis sobre a produção nacional de biogás. 

Na Europa e América do Norte o biogás já é apontado como alternativa sustentável para utilização em veículos pesados, como tratores, ônibus e caminhões. O biocombustível oferece eficiência e autonomia próxima a do diesel e sua implantação é bem mais rápida e barata do que a eletrificação. 

Recentemente, a FPT, fabricante de motores do Grupo CNH International, ampliou para cinco sua linha de propulsores a gás, que também PODEM rodar com biometano e já são aplicados em caminhões e vans Iveco e tratores New Holland. No mês passado, a New Holland mostrou na Agrishow em Ribeirão Preto (SP) seu trator-conceito movido a biometano, que utiliza motor FPT de seis cilindros e 180 cavalos próprio para a queima de gás. Sua chegada ao mercado mundial é aguardada em cerca de três anos e existem chances de ser produzido também no Brasil. 



Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade