Publicidade
MEIO FILTRANTE - Vendas de veículos crescem 17% até maio

Esta notícia já foi visualizada 515 vezes.

Vendas de veículos crescem 17% até maio

Data:5/6/2018

Desempenho é bom no acumulado do ano, mas há queda em maio por causa de greve dos caminhoneiros, aponta Fenabrave 

SUELI REIS, AB
 
As vendas de veículos cresceram 17% no acumulado de janeiro a maio quando comparado com iguais meses do ano passado, ao atingirem volume total de 964,6 mil unidades, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, de acordo com dados divulgados pela Fenabrave, entidade que representa o setor de distribuição e concessionários. Todos os segmentos apresentaram avanço dos emplacamentos no comparativo anual, embora o desempenho verificado em maio pela entidade tenha sido prejudicado pela greve dos caminhoneiros, que começou no dia 21.
 

O presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, afirma em nota que o setor observou em maio continuidade da tendência positiva verificada nos últimos meses, até o impacto causado pelas paralisações. Segundo a entidade, na soma de todos os segmentos em que atua (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários, entre outros), a média diária de vendas diminuiu 15% entre os dias 21 e 30 de maio. 

“Apuramos que a partir do dia 25 o número de veículos emplacados começou a retrair. Este cenário ocorreu, entre outras razões, pela dificuldade de abastecimento de combustível, que fez com que os veículos, já prontos para entrega, não fossem conduzidos aos pátios dos Detrans para emplacamento”, afirma Alarico.


Considerando apenas os emplacamentos de leves e pesados (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) os números mostram que as vendas de veículos recuaram 7,1% em maio na comparação com abril, embora os meses tenham apresentado o mesmo número de dias úteis (21). A média diária de vendas recuou de 10,3 mil unidades por dia útil em abril para 9,6 mil veículos por dia útil de maio. Nos leves, a média diária passou para 9,2 mil unidades leves em maio contra as 9,9 mil de abril e nos pesados, recuou de 350 para 331 unidades emplacadas por dia útil.

Com isso, todos os segmentos tiveram queda nos volumes de vendas de maio na comparação com abril, exceto ônibus, cujos emplacamentos cresceram 8,7% na passagem de um mês para o outro. O setor de distribuição acredita que parte dos efeitos da greve devem ainda ser refletidos nos números de junho.

“Considerando que o espaço de tempo entre a venda do veículo e o seu emplacamento é de até sete dias, essa redução no volume ainda não pode ser apurada em sua totalidade, e os reflexos da greve dos caminhoneiros devem se estender nos resultados de junho. Com a greve dos caminhoneiros/cegonheiros, os veículos não estavam sendo transportados até as concessionárias e muitos não foram fabricados, dada a falta de componentes. Isso sem mencionar o desabastecimento de peças e a perda de serviços que seriam realizados nas oficinas de nossas redes já que, sem combustível, os clientes não se deslocavam até as concessionárias, seja para comprar novos veículos ou mesmo para realizar serviços nos que já possuem”, acrescentou Assumpção Júnior.

DESEMPENHO

Todos os segmentos de veículos apresentaram crescimento das vendas acumuladas no comparativo anual. O volume de emplacamentos do segmento leve avançou 16,2% nos cinco meses iniciais do ano contra mesmo período de 2017, para 932,1 mil unidades. Deste total, 794,9 mil são automóveis, aumento de 15,7% na mesma base de comparação, enquanto os demais 137,2 mil são comerciais leves, volume 18,7% maior.

Nos pesados, que abrange as vendas de caminhões e ônibus, houve alta expressiva de 46,6% das vendas de janeiro a maio com relação ao volume de um ano atrás, ao passar de 824,4 mil para 964,6 mil unidades emplacadas. Os licenciamentos de caminhões cresceram mais da metade do volume apurado há um ano, com alta de 54%, para mais de 26,6 mil unidades. Os ônibus cresceram em ritmo pouco menor, mas ainda favorável, com índice positivo de 20,7%, com 5,9 mil chassis novos emplacados.

No comparativo de maio de 2018 contra o mesmo mês de 2017, o segmento de ônibus foi o único a registrar queda, de 5,7%, ao encerrar o mês com pouco mais de 1,2 mil chassis licenciados. Todos os demais segmentos apresentaram volumes maiores neste comparativo, com destaque para caminhões, cujas vendas foram 38,8% maiores ao emplacar 5,7 mil unidades. Deste modo, o segmento pesado encerrou o mês passado com um total de 6,9 mil unidades novas e avanço de 28%.

As vendas de leves somaram 194,9 mil unidades em maio deste ano, aumento de 2,5% sobre as 190,1 mil unidades emplacadas há um ano. O desempenho foi puxado pelos comerciais leves, que venderam 30,4 mil unidades, 13,6%a mais do que em mesmo mês do ano passado. Por outro lado, as vendas de automóveis beiraram a estabilidade em maio, com 164,4 mil unidades, leve aumento de 0,7% sobre igual mês de 2017.


Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade