Publicidade
MEIO FILTRANTE - Licenciamentos de veículos leves avançam 13% no ano

Esta notícia já foi visualizada 123 vezes.

Licenciamentos de veículos leves avançam 13% no ano

Data:3/10/2018

Setor acumula 1,77 milhão de unidades até setembro, na soma de automóveis e comerciais leves 

SUELI REIS, AB
 
Os licenciamentos de veículos leves cresceram 13,1% no acumulado de janeiro a setembro em comparação com iguais meses do ano passado, ao atingir o volume de 1,77 milhão de unidades, na soma dos licenciamentos de automóveis e comerciais leves. Os números foram divulgados na terça-feira, 2, pela Fenabrave, entidade que representa as concessionárias, que hoje contam com 7,4 mil pontos de venda no País.
 

Com 1,51 milhão de unidades emplacadas nos nove meses do ano, as vendas de automóveis subiram 12% na comparação anual. Nos comerciais leves, a alta foi de 19%, para 268,1 mil unidades.

No resultado isolado de setembro, o volume licenciado chegou a 204,7 mil unidades, representando aumento de 5,7% quando comparado com mesmo mês de 2017. No entanto, o volume foi 14,4% menor do que o verificado em agosto. Segundo o presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior, a queda se deve exclusivamente ao menor número de dias úteis de setembro (19) contra os de agosto (23).

Por outro lado, o executivo mostra que embora as vendas tenham caído no comparativo mensal, a média diária cresceu 3,6%, passando de 10,4 mil em agosto para 10,7 mil em setembro. Para Alarico, o controle da taxa de juros e a baixa inadimplência aliadas à maior confiança do consumidor estão sustentando o mercado de veículos leves.

“O que vende carro é juro barato: temos visto também o aumento da aprovação de crédito para o setor: a cada dez propostas, 4,5% são aprovadas. Este índice foi de 3% nos anos da crise, como 2015 e 2016 e ainda o vimos no primeiro semestre de 2017”, lembra.

Segundo a consultora econômica Tereza Maria Dias, da MB Associados, que atende a Fenabrave, o segmento de automóveis aponta para a tendência de curva ascendente do mercado.

“Vale ressaltar também que que a crise começou em 2013 primeiro com queda no mercado de automóveis, o mesmo segmento que antecipou a retomada.” Por causa do bom desempenho, a Fenabrave revisou pela terceira vez as previsões para o ano e agora espera um desempenho muito melhor do que o previsto anteriormente.


Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade