MEIO FILTRANTE - CNH Industrial acelera inovação no “Agtech Valley”
Esta notícia já foi visualizada 636 vezes.



CNH Industrial acelera inovação no “Agtech Valley”

Data:22/8/2019

Empresa participa da aceleradora Pulse Hub para buscar soluções e novas tecnologias para trabalho no campo, construção civil e transporte de cargas e passageiros 

LEONARDO ANDRADE, PARA A AB | De Piracicaba (SP)


O grupo CNH Industrial se uniu ao Pulse Hub, centro de inovação da Raízen em Piracicaba (SP), para acelerar projetos inovadores e oferecer novas soluções em suas diversas áreas de atuação, com máquinas agrícolas e de construção das marcas Case e New Holland, caminhões e ônibus Iveco, motores diesel FPT e veículos especiais Magirus. A empresa é uma das patrocinadoras da aceleradora de startups localizada na região apelidada de “Agtech Valley”, onde começa (literalmente) a colher resultados práticos do modelo de parceria para inovação. 

A nova revolução industrial (a indústria 4.0), a conectividade, o emprego de novos processos de produção e projetos de produtos serviços estão no foco da CNH Industrial no Pulse Hub. O objetivo é quebrar paradigmas e buscar novos modos de pensar e de criar para trazer soluções práticas para o dia a dia. 

“O grupo CNH Industrial tem tradição no registro de patentes. Temos um grupo de inventores trabalhando para criar novos produtos e sistemas para que tenhamos transporte, produção agrícola e construção civil mais sustentáveis, com menos custos e com mais soluções para os nossos clientes. A cultura da inovação está bem inserida na CNH e estamos trabalhando fortemente nesse sentido”, diz Sérgio Soares, diretor de engenharia e desenvolvimento de produtos. 

BIOMETANO E MUITA CONECTIVIDADE


As aplicações já começam a aparecer e as marcas da CNH estão participando de projetos que trazem novidades para seus veículos, seja no transporte, no campo ou na construção. Exemplo disso é a aproximação com empresas que cuidam do ciclo de produção de biomassa e biometano para uso como combustível. 

“Encontramos parceiros dentro do ecossistema do Pulse Hub que irão nos ajudar [a inserir o biometano em nossos produtos], primeiro com o desenvolvimento de motores e soluções em tratores para o agronegócio, mas em breve também nos veículos comerciais”, conta Soares. 

Também está em curso no Pulse o desenvolvimento de sistemas de conectividade: “Estamos trabalhando em um projeto nesse sentido que irá ajudar em todos os projetos da CNH de forma genérica, com frutos para o georeferenciamento de veículos e o monitoramento de seu funcionamento em diversas áreas”, explica o diretor. 

Os projetos de conectividade da CNH foram levados para dentro do Hub para que possam receber as sugestões e melhorias em aplicações como telemetria, monitoramento de veículos e operações, comandos remotos e outras funções on-line. 

Todo o trabalho de inovação por meio de startups dentro do Pulse Hub tem ajudado a CNH a criar equipamentos mais inteligentes e completos. Um exemplo está na colheita da cana: um sistema de monitoramento eletrônico desenvolvido por starturps para uma colheitadeira da Case coleta dados de funcionamento do motor, das partes elétricas e da produtividade da máquina. Com essas informações, os engenheiros podem fazer melhorias, gerar novos modos de produção e evitar perdas. 

A bordo da aceleradora, a CNH Industrial também fomenta o desenvolvimento de alternativas locais para a nova legislação de emissões Proconve P8, que entra em vigor a partir de 2022 e afeta diretamente a divisão de caminhões e ônibus Iveco e motores FPT. Na Europa, essas unidades já desenvolveram motorização diesel Euro 6 que atendem a redução de emissões, mas também têm projetos bem estruturados de veículos que utilizam energias alternativas, como o biometano e powertrain híbrido e elétrico. A adaptação dessa tecnologias ao Brasil pode se converter em cenário fértil de inovação para buscar as soluções necessárias para esta nova fase. 

“Os desafios do Euro 6 já estão aí. A partir de 2022, o Brasil será cenário de uma nova tecnologia de emissões e nós, fabricantes, estamos nos preparando para isso com simulações, análise de dados, modelos teóricos, conectividade, recuperação de energia e muitos outros detalhes. Somente com um time integrado e pensando 24 horas por dia em inovação conseguiremos chegar lá. Por isso o Pulse é tão importante para a CNH”, comenta Darwin Viegas, diretor de engenharia para o segmento de veículos comerciais da CNH. 

Os veículos elétricos e a gama da Iveco/FPT de motores a gás, seja o biometano ou o gás natural, fazem parte desse cenário que vislumbra novos tempos para o transporte. “Não acreditamos que o motor a diesel vá acabar ou ser substituído. Acreditamos em novas tecnologias que ajudam o motor a ter mais eficiência, em novas fontes de energia e em novos modos de aproveitar a energia e fazer tudo de forma mais racional. Este é o desafio dos novos tempos e estamos preparados para ele”, diz Alexandre Xavier, diretor de engenharia para o segmento de powertrain da CNH Industrial. 

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO


A CNH tem participação ativa no Pulse Hub, que tem em seu ecossistema mais de 900 startups que buscam soluções para agricultura, transporte e canteiros de obras. “O Pulse tem dois anos de existência e a Raízen decidiu investir na inovação para atender às suas necessidades de produção. Hoje, o grupo é um dos maiores produtores e distribuidores de açúcar do mundo e gerencia uma área plantada de mais de 800 mil hectares de cana, uma verdadeira lavoura de oportunidades e demandas para as startups”, comenta Ricardo Campo, gestor do Pulse. 

Em pauta permanente no centro de inovação estão todas as tecnologias da conectividade e da informação a serviço da produção agrícola e da logística. Melhores modos de aplicação de defensivos, caminhões mais econômicos, monitoramento de lavouras, tratores conectados e acessíveis, ônibus movidos a gás e elétricos: as soluções vêm a reboque do trabalho das jovens e motivadas cabeças pensantes dentro da plataforma, criando formas disruptivas de melhorar os negócios.



Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade